domingo, 14 de fevereiro de 2010

Doutrina Espírita


Toda crença é respeitável.
No entanto, se buscaste a Doutrina Espírita, não lhe negues fidelidade.

Toda religião é sublime.
No entanto, só a Doutrina Espírita consegue explicar-te os fenômenos mediúnicos em que toda religião se baseia.

Toda religião é santa nas intenções.
No entanto, só a Doutrina Espírita pode guiar-te na solução dos problemas do destino e da dor.

Toda religião auxilia.
No entanto, só a Doutrina Espírita é capaz de exonerar-te do pavor ilusório do inferno, que apenas subsiste na consciência culpada.

Toda religião é conforto na morte.
No entanto, só a Doutrina Espírita é suscetível de descerrar a continuidade da vida, além do sepulcro.

Toda religião apregoa o bem como preço do paraíso aos seus profitentes.
No entanto, só a Doutrina Espírita estabelece a caridade incondicional como simples dever.

Toda religião exorciza os Espíritos infelizes.
No entanto, só a Doutrina Espírita se dispõe a abraçá-los, como a doentes, neles reconhecendo as próprias criaturas humanas desencarnadas, em outras faixas de evolução.

Toda religião educa sempre.
No entanto, só a Doutrina Espírita é aquela em que se permite o livre exame, com o sentimento livre de compressões dogmáticas, para que a fé contemple a razão, face a face.

Toda religião fala de penas e recompensas.
No entanto, só a Doutrina Espírita elucida que todos colheremos conforme a plantação que tenhamos lançado à vida, sem qualquer privilégio na Justiça Divina.

Toda religião erguida em princípios nobres, mesmo as que vigem nos outros continentes, embora nos pareçam estranhas, guardam a essência cristã.
No entanto, só a Doutrina Espírita nos oferece a chave precisa para a verdadeira interpretação do Evangelho.

Porque a Doutrina Espírita é em si a liberdade e o entendimento, há quem julgue seja ela obrigada a misturar-se com todas as aventuras marginais e com todos os exotismos, sob pena de fugir aos impositivos da fraternidade que veicula.

Dignifica, assim, a Doutrina que te consola e liberta, vigiando-lhe a pureza e a simplicidade, para que não colabores, sem perceber, nos vícios da ignorância e nos crimes do pensamento.

“Espírita” deve ser o teu caráter, ainda mesmo te sintas em reajuste, depois da queda.

“Espírita” deve ser a tua conduta, ainda mesmo que estejas em duras experiências.

“Espírita” deve ser o nome de teu nome, ainda mesmo respires em aflitivos combates contigo mesmo.

“Espírita” deve ser o claro adjetivo de tua instituição, ainda mesmo que, por isso, te faltem as passageiras subvenções e honrarias terrestres.

Doutrina Espírita quer dizer Doutrina do Cristo.

E a Doutrina do Cristo é a doutrina do aperfeiçoamento moral em todos os mundos.

Guarda-a, pois, na existência, como sendo a tua responsabilidade mais alta, porque dia virá em que serás naturalmente convidado a prestar-lhe contas.

Pelo Espírito de: EMMANUEL

Psicografia de: Francisco Cândido Xavier

Livro: Religião dos Espíritos

Site: Luz do Espiritismo - Grupo Espírita Allan Kardec

Um comentário:

Ademário disse...

Reflexões espíritas

“Qualquer um pode contar as sementes em uma maçã, mas só Deus pode contar o número de maçãs em uma semente.” Robert H. Schuller
***
Da nossa essência só nós sabemos quando a fé, banhada pelo raciocínio é a luz á nos guiar pelos caminhos da imortalidade.

A Doutrina Espírita leva-nos naturalmente á uma revolução dos sentidos, no campo das percepções, do entendimento, do conhecimento e dos sentimentos.

Conhecer as idéias Divinas inscritas em nossa consciência quais tábuas das Leis Divinas e Naturais.

Perceber a Onisciência, a Onipresença do Pai em toda sua Obra, no leque de opções existenciais contidas na infinitude do Universo.

Recriar nossos sentimentos nos passos da evolução, emoldurados nas páginas do tempo.
Repaginar nosso ser no seio das reencarnações...

Dar um banho de luz em nossos sentimentos, apagando as sombras do avesso.

A Doutrina Espírita consola pelas soluções que apresenta á todos indistintamente, abrindo portas e janelas de renovação de valores, tendências e talentos, na somatização da luz que se adquire.

Decididamente não há infernos, pecados ou condenações. No prisma das Leis de Causas e Efeitos, as conseqüências são provas, experiências e expiações.
***
Há Doutrina tu és a luz
Que me ensina um novo modo de ser
De ser o que cria, recria e aprimora
De ser o que busca, encontra e distribui
Em sendo estudante sou a compreensão
Por que sou errante meu reflexo é o perdão
Enquanto ignorante a afinidade é provação
Amar á mim e ao próximo é a essência da renovação
Renascer de novo até que encontre a redenção
Eis o que a Doutrina Espírita me incute nos refolhos do coração!
***
Ademário da Silva.
14/set./2010