domingo, 27 de junho de 2010

Nunca a Sós


Não te creias em abandono, por mais rude te pareça a solidão e por mais doridas as provas que hoje te dilaceram...

Ninguém que espunja em regime de esquecimento.

Na tua soledade, onde as noites te parecem mais cruas e as provações mais exigentes, alguém participa da tua angústia acompanhando as penas que te convidam a reflexões profundas e diferentes.

Gostarias de privar, novamente, das primaveras abençoadas e ridentes em que os júbilos se te agasalhassem no coração, falando-te de sorrisos e de novas ilusões, já que supões encontrar nas quimeras o presente ditoso da vida.

Acompanhas com a alma em mágoa o sorriso que transita pelos lábios do mundo e sentes no imo o travo de inquietude e desesperação.

Desejarias, como eles, volver ao tumulto das horas vazias...

Percebes que te falam de alegrias que já não podes fruir.

Tens a impressão de que a liberdade que experimentam constitui o verdadeiro licor da vida.

No entanto, pára, medita, modifica o conceito.

Eles não são ditosos quanto gostariam.

Na Terra todos nos encontramos em regime de recuperação, em ministério reeducativo.

Nosso Planeta não é, por enquanto, o decantado Éden, tampouco o refúgio exclusivo da amargura.

Dor é prova. Sofrimento é desafio. Solidão é bênção.

Os que ora se encontram com aparência de felicidade volverão... Os que transitam em dor se recuperam e retornarão...

Todos marchamos para a liberdade. Não te detenhas na lamentação.

Não os invejes, a esses equivocados sorridentes, àqueles ansiosos que ignoram o amor em profundidade ou aos que vagueiam na busca do nada.

São crianças espirituais. Ama, confia desde hoje e espera mais.

Quem O visse em extremo abandono, dilacerado, esquecido, os braços rasgados em duas traves toscas, o coração lancetado, o olhar baço pelas lágrimas de sangue, e a coroa de espinhos infectos na cabeça sublime, não diria que Ele era o Governador da Terra e que, por amor, trocara as estrelas rutilantes pelas sombras do mundo, a fim de tornar-se para os tristes e confiantes, os sofridos e amantes uma via-láctea de redenção, pelos rumos do Infinito.

Confia nEle, alma sofrida, e não sofras mais, não te desesperes, nem te creias a sós.

Pelo Espírito de: Joanna de Ângelis

Site: Luz do Espiritismo - Grupo Espírita Allan Kardec

Um comentário:

Ademário da Silva disse...

Jesus, o Cristo...

E a reconscientização humana...
De coração aberto e mais perto da luz, ando pensando nos teus sentimentos com relação á humanidade.

Todo ano é essa mesmice por aqui. É claro que se não se deve generalizar, mas a grande maioria foge pelos desvãos dos artifícios. E o bulício é sempre o mesmo.

Fugas, descompromissos, ou compromisso com o ritual, a fantasia, crendices e promessas e ás pressas até a magia entra em cena. Chega a ser muito preocupante Mestre.

O materialismo contundente e a espiritualidade de cada um carente, pendente, sempre no prego das expectativas futuras, e até juras Jesus entram no prelo dos sonhos.

Sabe Jesus, parece que muita gente vive sonhando, desejando que um fenômeno restaurador, que não nos obrigue ao trabalho, ao suor espiritual no combate ao próprio mal, possa surgir do nada, como se este existisse, e modificasse tudo ao redor de nós, inclusive o nosso interior.

Nós gostaríamos muito de sermos santos sem esforços, por eleição ou privilégio, sacrilégio é palavra démodé. Alardearmos caridade no altar da hipocrisia seria o certificado de garantia, passaporte que nos permitiria adentrarmos os píncaros celestes, com direitos á mansões fluídicas, funcionais e bem decoradas. Asas de anjos e flautas afinadas... Ah!

Jesus, não importa se eu não sei tocar e não entendo nada de música, vale a decoração da minha ilusão... Meu coração é um atelier de fantasias...

Por essas e tantas outras, fico pensando em Você Jesus, com Sua
Luz varrendo o mundo, e como luz não é vassoura o nosso lixo continua debaixo do tapete do nosso destino. E agora Jesus, descobrimos que a nossa vida é imortal. É descobrimos que o

Kardec não facilitou, e o Denis colocou mais luz na fogueira que deve incinerar nossos erros e pecados e acender nossa transformação...

A revolução espírita de que nos falou Hegel, já começou Jesus...

Valores morais decadentes fervendo no caldeirão do atrasado; dores feito brasa assando o passado em banho Maria... É uma agonia... As pessoas trocam presentes embrulhados em papéis do passado, coloridos ás vezes por etiquetas convencionais e, as sementes do futuro permanecem no silo do adiamento, do esquecimento...

Eu sei Mestre que Tu perdoas, mas já ressoa nas cavernas da minha consciência a força da Tua voz, abrindo a foz das minhas mudanças...

Mesmo que a tua manjedoura, por aqui, signifique ainda um símbolo de pobreza e humildade distorcida, devemos mais lucidamente enxergar tua realeza e grandiosidade de Espírito Perfeito, e a simplicidade de quem sabe usar e respeitar os recursos que Deus nos legou para a nossa evolução espiritual...

Precisamos urgentemente nos deixar inseminar e fecundar por tua luz e, nos engravidarmos de teus ensinos e numa gestação de humildade e num parto de liberdade, propiciarmos o nascimento dos frutos da tua verdade.

E o teu aniversário será então Mestre, um relicário de Luz, de Amor e Paz, Harmonia e Amizade reais...

Desculpe o desabafo Jesus, mas a tua luz incide em minha sombra e provoca um mormaço que agita-me o ser

E me dá uma vontade de ser, de transformar, de conquistar e melhorar o meu modo de pensar e sentir...

Feliz aniversário Jesus...
Parabéns por tua luz e coragem...
Seu ideal e sentimentos, que me devolves como ungüentos á curar minhas feridas...
Feliz é aquele que entende Tua Vida...

Ademário da Silva **** 20/dez./2009