quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Colhendo na Vida

A seara de Deus é imensurável.  Ele é o Semeador Divino, cujo plantio oferta aos Seus filhos como alimento de vida.  É justo que cuidemos da lavoura que nos pertence, vigiando e orando, porque, de certa forma, somos co-criadores de sementes, lançando-as no solo da vida.  Todos os dias plantamos o germe da sabedoria ou da discórdia, da fé ou da dúvida, da mentira ou da verdade, do ódio ou do amor, dependendo da nossa disposição interna e do nosso preparo espiritual; portanto, sempre colhemos o que semeamos, de bem ou de mal.  Jesus veio nos ensinar, por bênção de Deus, a plantarmos as boas sementes e elas, em primeiro plano, são os nossos pensamentos; depois, as nossas palavras, e, em seguida, a nossa vivência.

A escola do Cristo é ampla, abre as portas para todas as criaturas de boa vontade e sua cartilha divina é o Evangelho do Mestre.  Entretanto, por ele partimos para muitos ângulos do saber e do amor, que nos fazem entender a verdadeira universalidade da vida cósmica.  Analisa o que pensas e se, porventura, encontrares alguma insuficiência ao teu progresso, conserta-te, muda de ideias, esforça-te para mudar, que as bênçãos de Deus ajudar-te-ão nos teus esforços, por menores que sejam.  Se a tua fala for inconveniente, não continues falando.  Medita no modo de melhorar ou teu verbo ante aos outros, que Deus te amparará nos teus esforços, proporcionando-te recursos de melhorar todas as tuas conversações.  Se o teu procedimento não condiz com a verdade, contradizendo os ensinos do Cristo, não continues vivendo desta forma; pára e pensa, medita e toma outra decisão, que o mundo espiritual encarregado de ajudar aos homens, ajudar-te-á novamente, e a tua vida tomará outros rumos na elevação que os Céus desejam.  Necessário se faz que confies na Força Soberana e em ti mesmo, que toda a natureza passará a te ajudar secretamente.  Vivemos, encarnados e desencarnados, dentro do clima que formamos pelos processos mentais.  As ideias, a fala e os desejos são criação da mente.  O responsável por tudo isso é o espírito.

As modificações devem partir da tua decisão e quando compreendemos Jesus, não podemos apresentar desculpas no certame da auto-educação-disciplina.  A vida é farta lavoura à disposição de todas as criaturas que entendem e obedecem as leis imutáveis do Criador.  A felicidade está dentro de nós.  Modifiquemos o modo pelo qual vivemos.  Essa mudança é o “pedi e obtereis, batei e abrir-se-vos-á”.  Sendo Deus o Amor, Ele nos dá de tudo com abundância; basta entendermos o como buscar.  As Suas mãos são fartas e operosas; acordemos para a vida, que a vida já se encontra desperta para nós, somando-nos a felicidade.  Quem planta, colhe, e se queres receber bons frutos, cuida bem do plantio.

Examina o que sai da tua boca; são sementes de vida, e essa semeadura se estende através dos dias, anos, séculos e milênios.  Assim, rompendo a vida, quanto tempo se gastará para colher?  Só Deus sabe, e a Sua misericórdia nos dá muitas oportunidades para modificarmos o modo pelo qual plantamos.  Essa misericórdia já se estendeu na Terra, pela chegada do Consolador prometido por Jesus.  Aproveitemos, pois, essa bênção do Senhor, que conhecemos pelo nome de Doutrina Espírita.  Ela é a educadora que faltava no mundo, distribuindo a todos oportunidades de melhorar, mesmo vivendo com o fardo da carne.  Começa agora as tuas reformas de costume, seguindo as pegadas do Mestre dos mestres, que encontrarás a paz de consciência no trabalho incessante de amor e caridade, passando a colher da vida, a vida de Deus nos céus de ti mesmo.

Pelo Espírito:  Miramez
Psicografia de:  João Nunes Maia
Livro:  Força Soberana
5ª Edição 2002 – Editora Espírita Fonte Viva
Páginas:  82 até 86 - Belo Horizonte – 1986

Nenhum comentário: