segunda-feira, 4 de março de 2013

A Verdade



A verdade não é aquilo que nos convém, nem o que nos interessa, nem o que nos é afim, nem mesmo aquilo que podemos aceitar com simpatia.
A verdade é o que é:  é a realidade viva e crua, consoante a revelação, que os fatos atestam tantas vezes se apele para seu testemunho.
A verdade é, muitas vezes, aquilo que não queremos que seja; aquilo que nos desagrada; aquilo com que antipatizamos; aquilo que nos prejudica o interesse, nos abate e nos humilha; aquilo que nos parece extravagante, e até mesmo aquilo que não cabe em nós.
A verdade não se acomoda ao homem, nem às coisas desta vida.  O homem é que se há de acomodar a ela, se a quiser conhecer e possuir.
A verdade é sempre senhora e soberana; jamais se curva; jamais se torce; jamais se amolda.
Quem desconhece a verdade é indigno da mesma verdade, porque só a desconhecem aqueles que a rejeitam.  E homens há que tão repetidamente a têm repudiado que acabam por não saber mais o que ela seja, como sucedeu a Pilatos.
A sociedade é composta de Pilatos em sua maioria, originando-se daí as intermináveis controvérsias e querelas em torno das questões claras e simples.
Os homens perderam a noção da verdade; tantas vezes a sacrificaram em prol de seus mesquinhos interesses.  Não obstante, o mundo precisa da verdade, e sem ela não pode passar.
Os homens empregam mil engenhos, e mil artifícios para sustentar o regime da mentira, cujos proventos imaginam fruir; mas as coisas se vão complicando de tal maneira, que num dado momento não haverá mais engenho nem artifício capaz de suster a falsa situação em que se colocam; tal é a origem das grandes comoções sociais.
A verdade, às vezes, custa tudo o que possuímos.  Tal é a interpretação das palavras do grande Mestre da Verdade:  “Quem não abre mão de tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo.”
Livro:  Nas Pegadas do Mestre
Autor:  Vinicius (pseudônimo) – Pedro de Camargo
8ª Edição em 1992 – Editora Federação Espírita Brasileira (FEB) –
Páginas:  55 até 56 – Brasília-DF – 1933

Nenhum comentário: