segunda-feira, 4 de março de 2013

Credo


Creio em Deus, criador onisciente e onipotente, Causa Suprema de todas as coisas, origem do Bem e do Belo.
Creio no seu excelso e imutável amor, como atributo principal de seu caráter, como essência que, d’Ele irradiando, gera a Vida, que se ostenta por toda a parte sob múltiplas modalidades, animando o incomensurável cenário do infinito.
Creio na sua justiça indefectível, não como instrumento de punição ou vindita, conforme a dos homens; mas como processo de regeneração, imanente no mesmo delito, estabelecendo de modo absolutamente perfeito, graças a uma organização sapientíssima, todas as normas do direito, todos os princípios da mais rigorosa igualdade.
Creio no seu poder e saber absolutos, cujas provas transcorrem da inalterabilidade e da matemática precisão com que funcionam as leis organizadas para regerem a criação nos planos físico e moral.
Creio em Jesus Cristo como a encarnação do Verbo divino, compreendendo esse Verbo como a vontade de Deus, a verdade eterna revelada ao mundo.
Creio nas Escrituras, contanto que nelas se busque, através da letra que mata, o espírito que vivifica.
Creio no progresso, na evolução, como objeto e alvo da vida, segundo a sentença do Mestre:  “Sede perfeitos como Deus, vosso Pai, é perfeito.”
Creio na salvação, como a liberdade que os ser consciente vai adquirindo à proporção que se vai desembaraçando dos vícios, paixões e fraquezas, conforme o ensino do Cristo:  “Aquele que comete pecado é escravo do mesmo pecado.  A verdade vos libertará.”
Creio na ressurreição do espírito, porque, sendo ele imortal e indestrutível, não pode extinguir-se com a morte do corpo, consoante disse Jesus:  “Deus não é Deus de mortos:  para Ele todos vivem.”
Creio na solidariedade universal, na comunhão dos fiéis, segundo a súplica do Justo:  “Pai, quero que eles sejam um em mim, como eu sou um em Ti, na consumação da unidade.”
Creio num só destino reservado a todos, e cuja realização se dera infalivelmente, no infinito do tempo, conforme se deduz da incomparável odisséia do Filho Pródigo.
Creio que o homem não nasce neste ou naquele meio, sob esta ou aquela condição, esta ou aquela vez, pela sua vontade, mas pela vontade de Deus, como ensina o Evangelho.
Creio que a existência terrena é uma oportunidade organizada, e concedida por Deus, para o espírito realizar o objetivo da vida, concitado pela contingências e conjunturas que o cercam.
Creio nos efeitos do batismo de fogo, e nos efeitos do batismo do Espírito Santo; este como influência do Céu, e aquele como símbolo da dor que purifica os costumes, abate o orgulho e apura os sentimentos.
Creio na “Graça” como auxílio de Deus àqueles que obedecem à seguinte recomendação:  “Pedi e dar-se-vos-á; batei e abrir-se-vos-á; procurai e achareis.”
Creio no Paraíso e no Hades como condições especialíssimas em que se encontrarão os Espíritos, conforme o estado de suas consciências; pois escrito está:  “A cada um será dado segundo as suas obras.”
Creio na imensidade, na incomensurável vastidão do infinito resplendente de astros, planetas, sóis e mundos, onde palpita a vida num concerto uníssono de cânticos e louvores ao Supremo Senhor do Universo, de acordo com as palavras do Rabino:  “Na casa de meu Pai há muitas moradas.”
Creio, finalmente, que todas as leis e atos emanados de Deus são frutos do seu infinito amor, a serviço de sua insondável inteligência e soberaníssima vontade.
Livro:  Nas Pegadas do Mestre
Autor:  Vinicius (pseudônimo) – Pedro de Camargo
8ª Edição em 1992 – Editora Federação Espírita Brasileira (FEB) –
Páginas:  68 até 69 – Brasília-DF – 1933

Nenhum comentário: