sábado, 16 de março de 2013

Exaltados e Humildes



 
Alguém já disse com muita propriedade que não convém mostrar ao homem a grandeza de seu futuro sem lhe dar a conhecer a humildade de seu passado, nem tão pouco fazê-lo sabedor deste, deixando-o na ignorância daquele.

De fato o conhecimento simultâneo de uma e outra coisa é o que melhor convém ao homem para o manter no ponto de equilíbrio.

Assim, pois, ao orgulhoso, àquele que a si mesmo vive adorando, numa autolatria sem fim, a esse é mister que se diga:  Sabeis quem sois, ó insensato?  Conheceis vosso passado?  Já pensastes na trajetória que percorrestes?  Sabeis já o que fostes em eras longínquas de um remoto pretérito?  Ignorais?  Olhai para baixo de vós, na escala dos seres inferiores.  Vede, em toda a sua nudez, o cunho de animalidade que caracteriza a besta, o bruto, a fera.  Observai os arrastamentos a que estais sujeitos, como escravos que sois dos instintos carnais.  Atentai para os povos primitivos, para os bárbaros, para os selvagens, que de humanos só têm a forma.  Mirai-vos nesse espelho, com a devida atenção, porque ele reflete a vossa própria gênese, dando-vos ao mesmo tempo uma sublime lição de humildade.

Ao quebrantado de coração, ao simples e humilde, cujo alento ameaça desfalecer no ardor de lutas que lhe parecem intérminas, é necessário que se lhe pergunte:  Porque desanimais?  Sabeis para onde ides?  Conheceis o futuro radiante que além vos espera, após a passagem dessas refregas efêmeras que ora suportais?  Olhai para a margem oposta; vede, acima de vós, os seres superiores, os denominados santos, os anjos e arcanjos que habitam as mansões celestes.  Quem são eles?  Entes que, como vós, se depuraram no cadinho da dor, na retorta das experiências amargas de duras provações.  Vede ainda, na mesma série humana, os grandes, os fortes, os puros, os missionários do amor, que, ao passarem por este orbe, deixaram após si uma esteira luminosa que tem servido de roteiro às gerações que se sucedem.  Mirai-vos nesse espelho, porque ele reflete com fidelidade o vosso próprio porvir, dando-vos ao mesmo tempo uma grandiosa lição de fé, de coragem e de valor.

Ao orgulhoso, Deus mostrará o passado, fazendo-lhe curvar a cerviz até o pó da terra donde foi tirado.  Ao humilde, Deus mostrará o futuro, levantando-lhe a fronte até o limiar do Céu.

E assim se cumpre a palavra do Evangelho da Vida:  Aquele que se exalta será humilhado, e aquele se humilha será exaltado.”


Livro:  Nas Pegadas do Mestre
Autor:  Vinicius (pseudônimo) – Pedro de Camargo
8ª Edição em 1992 – Editora Federação Espírita Brasileira (FEB) –
Páginas:  95 até 96 – Brasília-DF – 1933

Nenhum comentário: