domingo, 9 de junho de 2013

Aparições

Os Espíritos podem aparecer para os vivos?
Os espíritos nada mais são do que nós mesmos, depois da morte do corpo carnal. Permanecem individualizados graças a outro corpo mais fluídico, denominado perispírito, não perceptível diretamente pelos nossos cinco sentidos humanos. Embora em outro estado, a substância que reveste o espírito continua sendo matéria. Em algumas circunstâncias especiais, os espíritos podem aparecer para nós, e o fazem pela sua vontade, agrupando as moléculas perispirituais.
O fenômeno nada tem de sobrenatural e inclui-se dentro da Física, ciência que de há muito estuda os diversos estados da matéria (ou energia). Haveria, no caso, uma espécie de condensação, como a que ocorre quando as moléculas de água existentes no ar (que também são invisíveis) se liquefazem em decorrência da baixa temperatura.
Os espíritos podem graduar a intensidade da condensação de modo a se tornarem visíveis apenas a uma pessoa ou então a todas as pessoas presentes num determinado local. Foi isso o que aconteceu nas diversas aparições de Jesus após a crucificação, quando o Mestre mostrou-se a Madalena no terceiro dia e posteriormente aos apóstolos. E inúmeras são as narrativas sobre a aparição de mortos em livros, jornais e televisão. Não raro, ouvimos pessoas amedrontadas contando do encontro com amigos ou familiares que já morreram.
É possível, pois, especificarmos situações diferentes relacionadas com a aparição dos espíritos. Num grau de menor condensação, os espíritos se fazem visíveis a pessoas mais sensíveis, as quais a Doutrina Espírita denominou de médiuns videntes. Nesse caso, somente as pessoas dotadas dessa mediunidade é que podem vê-los.
Intensificando a vibração, os espíritos podem se deixar ver por várias pessoas, sem que estas precisem ter mediunidade. Num grau maior, os espíritos adquirem a tangibilidade, ou seja, podem ser tocados, como aconteceu com Jesus quando falou a Tomé para por o dedo em sua mão, no lugar dos cravos da crucificação. Nessa condição, o espírito pode inclusive agir como se fosse um encarnado. Sobre isso tivemos notícia de que certa paciente de um hospital contou ter passado mal à noite e que foi atendida por um médico; ao descrevê-lo, disseram-lhe que isso seria impossível, uma vez que o médico cujas características apontara já havia morrido.
Há também a materialização, que é um fenômeno mediúnico. Determinado médium de efeitos físicos fornece uma substância chamada ectoplasma, de natureza fluídica e maleável, expelida do corpo pelos orifícios superiores, a qual é utilizada pelo espírito para modelar o seu perispírito, tornando-o tangível. Disso existem provas materiais, consistentes de peças moldadas em cera e muitas fotografias tiradas em experiências realizadas por pessoas sérias e idôneas.
Necessário ressaltar que, seja na aparição ou na materialização, o espírito pode mostrar-se por inteiro ou apenas parcialmente, só a cabeça por exemplo. E ainda que a aparição pode ser rápida como um flash de luz, ou então mais prolongada, dependendo de sua vontade.
O importante desse tema é o nosso despertamento para a realidade espiritual, aprendendo a nos relacionarmos com tranqüilidade com os chamados mortos, que na verdade estão mais vivos do que nós.
Autor: Donizete Pinheiro
Livro: Respostas Espíritas – Edições Sonia Maria – 1ª Edição – Capítulo: 57 - São Paulo – 1997

Nenhum comentário: