domingo, 28 de julho de 2013

Saber Envelhecer

 

No contexto da arte de viver, é necessário saber envelhecer.

O receio e a angústia com que as pessoas observam o tempo passar conduzindo-as à senectude, demonstram completa falta de entendimento acerca do fenômeno da vida.

A causa do medo de envelhecer está no conceito equivocado que se faz da fase ulterior da existência física.

Muitas vezes, a falta de aceitação do envelhecimento do corpo físico gera um estado psicológico enfermo, levando as pessoas à perda do bom senso. Passam a mentir a idade que possuem e, em verdadeiro processo de auto-afirmação e fuga da própria realidade, costumam fazer uso de roupas e acessórios inadequados, expondo-se ao ridículo.

Não nos referimos, aqui, aos recursos naturais de higiene, beleza e cuidados com o corpo físico que visam a saúde e a boa aparência, que devem e precisam fazer parte das ações diárias, no indispensável dever de “cuidar do corpo e do espírito”.

Reportamo-nos aos excessos e abusos, sempre inoportunos em quaisquer situações, e às técnicas cirúrgicas que põem em risco a vida das criaturas e que existem na Terra para a sublime tarefa de corrigir deformidades e não para lutar contra os processos naturais da existência.

Saber envelhecer não significa entregar-se passivamente à inatividade, sempre prejudicial, mas sim continuar em ação, apenas compreendendo que se iniciará uma fase de novas atividades na vida.

Pelo Espírito: Antônio Carlos Tonini

Psicografado por: Luís Antônio Ferraz

Livro: No Entardecer da Existência –Editora DIDIER

(Casa Editora Espírita “Pierre-Paul Didier”) – 2ª Edição – Agosto/2004 – Páginas: 32 e 33 - Votuporanga – São Paulo / 1995.

Nenhum comentário: