sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Sigamo-lo

Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vai ao Pai senão por mim” – disse Jesus aos seus discípulos.

Porque é Jesus o caminho? Porque penetrou a mente divina estabelecendo íntima, perfeita e ininterrupta comunhão com Deus. Desse modo, conquistou a verdade e a vida.

Que é a verdade? A verdade é o imutável, o eterno, o indestrutível. É o que os fatos confirmam todas as vezes que apelamos para o seu testemunho. É o que sempre foi e será. Verdade é amor.

Que é a vida? A vida é o triunfo sobre a morte. É a vitória sobre o aniquilamento: vitória decisiva, absoluta, que exclui por completo a possibilidade de derrota. A vida é a manifestação da vontade de Deus: vida é amor.

Jesus possui a verdade e a vida. De todos os entes que pisaram a Terra nenhum outro o fez com tais prerrogativas.

A sabedoria do homem é vã. A vida do homem passa como uma sombra. O seu amor está subjugado pelo egoísmo.

O homem não vingou ainda a verdade e a vida porque ele erra a cada instante, e porque de dia para dia avança para a morte.

O homem, portanto, não percorreu o caminho que conduz à verdade e à vida.

Jesus já fez essa jornada: já logrou verdade e vida. Ele, pois, é o caminho por meio do qual o homem alcançará verdade e vida. Enquanto o homem não seguir as pegadas de tal guia, jamais vencerá o carreiro a percorrer.

A estrada é uma só: não há outra. O destino é uno na eternidade. Avisado anda quem não perde tempo por atalhos e torcicolos que não têm saída.

Jesus é o caminho, porque já conhece o terreno a transpor. Já fez o percurso. É o único que pode guiar com segurança aqueles que o têm de fazer. O homem não sabe conduzir outro homem. Ao Filho de Deus, mas somente ao Filho de Deus, é dada essa missão. Seu corpo não viu corrupção; sua palavra não foi contestada; ninguém o convenceu de pecado; seu amor não teve intermitências em qualquer transe ou conjuntura. Não há, para ele, paralelo possível neste mundo.

Jesus é, sem dúvida, o caminho: sigamo-lo.

Livro: Nas Pegadas do Mestre

Autor: Vinicius (pseudônimo) – Pedro de Camargo

8ª Edição em 1992 – Editora Federação Espírita Brasileira (FEB) –

Páginas: 221 até 222 – Brasília-DF – 1933

Nenhum comentário: